sábado, agosto 24, 2013

Há pessoas construtoras e outras desconstrutoras de afeto. As primeiras deixam o ar mais puro ao passar por nós. As desconstrutoras - cheias de amargura, crítica e rancor- deixam apenas um deserto de indiferença.

 Aglair Grein-psicanalista



sexta-feira, agosto 23, 2013

Espalhe o amor...



Espalhe que o amor não é banal. E que, embora estejam distorcendo o sentido verdadeiro dele nos tempos modernos de hoje, ele existe e é o ingrediente mais importante da vida, a própria porção mágica da felicidade. 
(Mário Quintana)




sexta-feira, agosto 16, 2013

"Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu Amor próprio, quem não se deixa ajudar. 
Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito. que repete todos os dias o mesmo trajeto, que não muda de marca, que não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem não conhece. 
Morre lentamente quem evita uma paixão e o seu redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, e os corações aos tropeços. 
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho ou amor; quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho; quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos. 

Viva hoje! Arrisque hoje! Faça hoje! Não se deixe morrer lentamente..."



Martha Medeiros